Avaliação do Estado Mental: Comparação entre grupos de policiais militares do Distrito Federal com e sem indicadores clínicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.59633/2316-8765.2024.349

Palavras-chave:

avaliação psicológica, saúde mental policial, bateria de avaliação do estado mental, alterações psicopatológicas

Resumo

O presente estudo tem como objetivo identificar distúrbios no estado mental associados a indicadores clínicos de problemas de saúde mental em uma amostra de policiais militares do Distrito Federal. Participaram desta pesquisa descritiva transversal de amostragem por conveniência 263 policiais. Os participantes responderam à Bateria de Avaliação do Estado Mental (BAEM), que avalia 11 dimensões do funcionamento mental. Os dados foram obtidos on-line e analisados por meio de estatísticas descritivas e inferenciais. A amostra foi categorizada em dois grupos: com e sem indicadores clínicos de problemas de saúde mental. As médias dos escores da BAEM desses dois grupos foram comparadas pelo teste t de Welch. O tamanho do efeito foi examinado pelo método de g de Hedge. Os resultados indicaram que os policiais com indicadores clínicos tenderam a apresentar escores da BAEM mais elevados do que aqueles sem esses indicadores. Os domínios psicológicos mais alterados foram atenção, memória, funções executivas, pensamentos depressivos e ansiosos, comportamentos impulsivos e inquietos, afetos negativos, instabilidade e intensidade emocional, problemas sexuais, somáticos e de autonomia. Mapear esses distúrbios pode auxiliar a construção indicadores de cuidados clínicos em saúde mental do policial militar do Distrito Federal.

Biografia do Autor

  • Dionne Rayssa Cardoso Corrêa, Universidade de Brasília

    Psicóloga, Licenciada e Bacharela em Psicologia pela Universidade de Brasília (UnB). Mestre e doutoranda em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília e pós-graduanda em Psicologia do Envelhecimento pelo Child Behavior Institute of Miami. Tem interesse nas áreas: desenvolvimento humano, psicometria, avalição psicológica, avaliação neuropsicológica, reabilitação cognitiva e psicologia cognitiva. Tem experiência em avaliação psicológica, construção de instrumentos psicológicos, mapeamento de competências e profissiografia, principalmente, no contexto de segurança pública.

  • Sergio Eduardo Silva de Oliveira, Universidade de Brasília

    Possui graduação em Psicologia pelo Centro Universitário de Lavras (UNILAVRAS, 2009), especialização em Avaliação Psicológica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2014) e pelo Conselho Federal de Psicologia (2021), mestrado (2012) e doutorado (2016) em Psicologia também pela UFRGS. Durante o doutorado, realizou estágio na University of Minnesota sob orientação do Prof. Dr. Robert F. Krueger. Atualmente é professor concursado da Universidade de Brasília (UnB), atuando junto ao Departamento de Psicologia Clínica (PCL) e ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura (PsiCC) do Instituto de Psicologia da UnB. Ele coordena o Núcleo de Estudos em Avaliação Psicológica Clínica (NEAPSIC) e o projeto de extensão Serviço de Avaliação Psicológica (SAPsi). É membro e foi coordenador do Grupo de Trabalho em Avaliação Psicológica e Psicopatologia da ANPEPP. É membro da Comissão Consultiva em Avaliação Psicológica (CCAP) do Conselho Federal de Psicologia (CFP). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Avaliação Psicológica, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação psicológica, psicometria, personalidade, patologia da personalidade e psicopatologia.

Referências

Almeida, N. F., & Chaves, A. B. P. (2020). Estresse policial: uma revisão integrativa sobre o estresse ocupacional em policiais. Brazilian Journal of Development, 6(7), 52693-52706. https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-788

Alves, M., & Godoy, S. C. B. (2001). Procura pelo serviço de atenção à saúde do trabalhador e absenteísmo: doença em um hospital universitário. REME-Revista Mineira de Enfermagem, 5(1/2), 73-81.

Araújo, M. M., Malloy-Diniz, L. F., & Rocha, F. L. (2009). Impulsividade e acidentes de trânsito. Archives of Clinical Psychiatry (são Paulo), 36(2), 60–68. https://doi.org/10.1590/S0101-60832009000200004

Araújo, F. M., Nascimento, V. M. S., Soares, N. M. M., Oliveira, D. P. M., Santos, C. K. A., Freitas, A. V., Araújo, R. A. O., & dos Silva, R. J. S. (2020). Nível de atividade física, percepção de qualidade de vida e saúde mental em policiais militares. Motricidade,16 (S1), 113-123. https://doi.org/10.6063/motricidade.22332

Arslan, R. C., Walther, M. P., & Tata, C. S. (2020). formr: A study framework allowing for automated feedback generation and complex longitudinal experience-sampling studies using R. Behavior Research Methods, 52(1), 376-387. https://doi.org/10.3758/s13428-019-01236-y

Arnetz, B. B., Nevedal, D. C., Lumley, M. A., Backman, L., & Lublin, A. (2009) Trauma resilience training for police: psychophysiological and performance effects. Journal of Police and Criminal Psychology 24(1), 1–9. https://doi.org/10.1007/s11896-008-9030-y

Assis, B. B., da Roza, A. C. C., & da Silva Bernardino, A. V. (2020). Da farda ao fardo: Estresse, ansiedade e depressão no cotidiano do Policial Militar. Revista Mosaico, 11(1), 72-77. https://doi.org/10.21727/rm.v11i1.2286

Bezerra, C. D. M., Minayo, M. C. D. S., & Constantino, P. (2013). Estresse ocupacional em mulheres policiais. Ciência & Saúde Coletiva, 18, 657-666. https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000300011

Bhatia, K. M., & Pandit, N. (2017). Prevalence of Chronic Morbidity and Sociodemographic Profile of Police Personnel - A Study from Gujarat. Journal of clinical and diagnostic research: JCDR, 11(9), LC06–LC09. https://doi.org/10.7860/JCDR/2017/27435.10586

Bombarda, D. J., Hundzinski, B. O. R., Soares, J. L., Souza, S. E. S. M., & Silva, A. R. (2022). Bruxismo causado pelo estresse da atividade policial militar: revisão de literatura. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 11(11), e92111133391. https://doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33391

Borges, A. A. (2013). Polícia e Saúde: entrevista com o Diretor Geral de Saúde da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Ciência & Saúde Coletiva, 18(3), 677-679, 2013. https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000300013

Brasil (2018). Lei nº 13.675, de 11 de junho de 2018. Disciplina a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, nos termos do § 7º do art. 144 da Constituição Federal; cria a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS); institui o Sistema Único de Segurança Pública (Susp); altera a Lei Complementar nº 79, de 7 de janeiro de 1994, a Lei nº 10.201, de 14 de fevereiro de 2001, e a Lei nº 11.530, de 24 de outubro de 2007; e revoga dispositivos da Lei nº 12.681, de 4 de julho de 2012.

Brasil. (2023). Lei nº 14.531, de 10 de janeiro de 2023. Altera as Leis nºs 13.675, de 11 de junho de 2018, que cria a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS), e 13.819, de 26 de abril de 2019, que institui a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, para dispor sobre a implementação de ações de assistência social, a promoção da saúde mental e a prevenção do suicídio entre profissionais de segurança pública e defesa social e para instituir as diretrizes nacionais de promoção e defesa dos direitos humanos dos profissionais de segurança pública e defesa social; e dá outras providências.

Breakwell, G. M., Hammond, S., Five-Schaw, C., & Smith, J. A. (2010). Métodos de pesquisa em psicologia. Artmed.

Brom, P. P. G., Costa, B.A., & Pereira, M. M. (2022). Uso de medicamentos ansiolíticos por policiais militares do Distrito Federal. Trabalho de Conclusão de Curso. Instituto Superior de Ciências Policiais.

Carvalho, L. O. R. de; Porto, R. de M.; Sousa, M. N. A. (2020). Sofrimento psíquico, fatores precipitantes e dificuldades no enfrentamento da síndrome de Burnout em policiais militares/ Psychic suffering, precipitating factors and difficulties in coping with Burnout syndrome in military police. Brazilian Journal of Health Review, 3(5), 15202–15214. https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-300

Carvalho, R. G., Dantas, J. D. S. O. M., & Hernandez, J. A. E. (2023). Fatores de risco psicossociais no trabalho do policial militar: revisão sistemática. Contribuciones a las ciencias sociales, 16(11), 27407-27427. https://doi.org/10.55905/revconv.16n.11-159

Cecarechi, G., & Scatolin, H. G. (2017). A linha tênue entre combater a violência e o sofrimento psíquico: O ambiente laboral da Polícia Militar e a saúde mental. Revista Espacios, 38(8). https://www.revistaespacios.com/a17v38n08/a17v38n08p30.pdf

Charles, L. E., Slaven, J. E., Mnatsakanova, A., Ma, C., Violanti, J. M., Fekedulegn, D., Andrew, M. E., Vila, B. J., & Burchfiel, C. M. (2011). Association of perceived stress with sleep duration and sleep quality in police officers. International journal of emergency mental health, 13(4), 229–241.

Comando-Geral da Polícia Militar do Distrito Federal. (2022). Plano estratégico: 2023 - 2024 (1ª edição). Brasília

Corrêa, D. R. C. (2023). Construção e Evidências de Validade da Bateria de Avaliação do Estado mental. [Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília]. Repositório Institucional da UnB. http://repositorio2.unb.br/jspui/handle/10482/46321

Corrêa, D. R. C., & Oliveira, S. E. S. (no prelo). Construção e Estudos Psicométricos da Bateria de Avaliação do Estado Mental. Revista Avaliação Psicológica.

Correia, A. R., & Dunningham, W. A. (2016). Estimativa da ocorrência de transtorno do estresse pós-traumático em policiais militares da Bahia. Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria, 20(3), 187-216.

Cronbach, L. J. (1951). Coefficient alpha and the internal structure of tests. psychometrika, 16(3), 297-334. https://doi.org/10.1007/BF02310555

Covey, T. J., Shucard, J. L., Violanti, J. M., Lee, J., & Shucard, D. W. (2013). The effects of exposure to traumatic stressors on inhibitory control in police officers: a dense electrode array study using a Go/NoGo continuous performance task. International Journal of Psychophysiology, 87(3), 363-375. https://doi.org/10.1016/j.ijpsycho.2013.03.009

Creswell, J. (2014). Research design: qualitative, quantitative, and mixed methods approaches. Sage Publications.

Crow, A. J. D. (2019). Associations Between Neuroticism and Executive Function Outcomes: Response Inhibition and Sustained Attention on a Continuous Performance Test. Perceptual and Motor Skills, 126(4), 623-638. https://doi.org/10.1177/0031512519848221

Davies, L. E., Brooks, M., & Braithwaite, E. C. (2022). Compassion fatigue, compassion satisfaction, and burnout, and their associations with anxiety and depression in UK police officers: A mixed method analysis. The Police Journal, 96(3), 509-529. https://doi.org/10.1177/0032258X221106107

Del Fiol, A. M. Z. (2023). O suicídio entre policiais militares e os esforços para prevenção. RECIMA21-Revista Científica Multidisciplinar, 4(10), e4104039-e4104039. https://doi.org/10.47820/recima21.v4i10.4039

Dias, C. N., & de Andrade, V. L. P. (2020). A relação entre a síndrome de burnout e o policial militar brasileiro. Cadernos de Psicologia, 2(4), 186-209.

Dias, C. A., Siqueira, M. V. S., & Ferreira, L. B. (2023). Análise socioclínica do contexto do trabalho e sua relação com o adoecimento mental de policiais militares do Distrito Federal. Cadernos EBAPE.BR, 21(1), e2022–0095. https://doi.org/10.1590/1679-395120220095

Diamond, A. (2013). Executive functions. Annual Review of Psychology, 64, 135-168, https://doi.org/10.1146/annurevpsych-113011-143750

Dickman, S. J. (1990). Functional and dysfunctional impulsivity: Personality and cognitive correlates. Journal of Personality and Social Psychology, 58(1), 95–102. https://doi.org/10.1037/0022-3514.58.1.95

Dunn, O. J. (1961). Multiple comparisons among means. Journal of the American statistical association, 56(293), 52-64. https://doi.org/10.1080/01621459.1961.10482090

Elkjær, E., Mikkelsen, M. B., Michalak, J., Mennin, D. S., & O'Toole, M. S. (2022). Motor alterations in depression and anxiety disorders: A systematic review and meta-analysis. Journal of Affective Disorders, 317, 373–387. https://doi.org/10.1016/j.jad.2022.08.060

Esteves, A., & Gomes, A. R. (2013). Stress ocupacional e avaliação cognitiva: um estudo com forças de segurança. Saúde E Sociedade, 22(3), 701–713. https://doi.org/10.1590/S0104-12902013000300005

Feitosa, J. B. de M. F., Silva, N. L. D., Lemos, R. F., Melo, D. J. S., & Ramos, F. W. da S. (2021). Depressão, risco de suicídio e transtorno de estresse pós traumático em policiais militares de Maceió, Alagoas. Brazilian Journal of Development, 7(12), 115370–115391. https://doi.org/10.34117/bjdv7n12-347

Ferreira, L. B., & Dias, C. A. (2022). Subjetivação e adoecimento no trabalho policial militar à luz da psicodinâmica. Revista Gestão Em Análise, 11(2), 110–126. https://doi.org/10.12662/2359-618xregea.v11i2.p110-126.2022

Ferreira, L. B., Santos, M. A. F., De Paula, K. M., Mendonça, J. M. B., & Carneiro, A. F. (2017). Riscos de adoecimento no trabalho entre policiais militares de um batalhão de Brasília. Gestão e Sociedade, 11(29), 1804–1829. https://doi.org/10.21171/ges.v11i29.2150

Francisco, D. R. M., Rodrigues, A. P. G., & Pereira, G. K. (2022). Riscos psicossociais na saúde mental de policiais militares. HOLOS, 8. e10379. https://doi.org/10.15628/holos.2022.10379

Garbarino S, Magnavita N. (2015). Work Stress and Metabolic Syndrome in Police Officers. A Prospective Study. PLoS One, 10(12). https://doi.org/10.1371

George, D. & Mallery, P. (2003). SPSS for Windows step by step: A simple guide and reference. 11.0 update (4th ed.). Allyn & Bacon.

Gomes, J. S., Simonetti, L., & Maidel, S. (2018). Funções executivas e regulação cognitivo-emocional: conexões anatômicas e funcionais. Revista de Ciências Humanas, 52, 1-11. http://dx.doi.org/10.5007/2178-4582.2018.42170

Gomez, V.A., Mazzoleni, M., Rodrigues, C.M.L., Bentes, A., Aquino, M.A., Torres, C.V., Chambel, M.J., & Faiad, C. (2021). Conflito trabalho-família em segurança pública: uma revisão integrativa. Revista SUSP, 1(1), 237-251. https://doi.org/10.56081/2763-9940/revsusp.v1n1.a15

Guedes, C. D. F. (2009). Investigação da impulsividade pela Prova de Rorschach em policiais militares do Comando de Missões Especiais da Polícia Militar do Pará. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Universidade Federal do Pará.

Hartley, T. A., Burchfiel, C. M., Fekedulegn, D., Andrew, M. E., & Violanti, J. M. (2011). Health disparities in police officers: comparisons to the U.S. general population. International journal of emergency mental health, 13(4), 211–220.

Husain, W. (2019). Depression, anxiety, and stress among urban and rural police officers. Journal of Police and Criminal Psychology, 35(4), 443–447. https://doi.org/10.1007/s11896-019-09358-x

Kengatharan, N. (2015). The nature of work family conflict: A review and agenda for future research. International Journal of Human Resource Studies, 5(2), p. 163-188. https://doi.org/10.5296/ijhrs.v5i2.7630.

Lakens, D. (2013). Calculating and reporting effect sizes to facilitate cumulative science: a practical primer for t-tests and ANOVAs. Frontiers in psychology, 4, 863. https://doi.org/10.3389/fpsyg.2013.00863

Leopoldino, G. A., dos Santos Freitas, V., da Silva, E. A., da Silva, B. L., & Luca, L. (2023). Prevalência de sintomas de depressão e ansiedade em policiais da guarda civil municipal. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, 15(46), 159-180.

Lozano-Madrid, M., Bryan, D. C., Granero, R., Sánchez, I., Riesco, N., Mallorquí-Bagué, N., Jiménez-Murcia, S., Treasure, J., & Fernández-Aranda, F. (2020). Impulsivity, Emotional Dysregulation and Executive Function Deficits Could Be Associated with Alcohol and Drug Abuse in Eating Disorders, Journal of Clinical Medicine, 9(6), 1936. https://doi.org/10.3390/jcm9061936

Mack, S., Jacobi, F., Beesdo-Baum, K., Gerschler, A., Strehle, J., Höfler, M., Busch, M. A., Maske, U., Kapke, U., Gaebel, W., Zielasek, J., Maier, W., & Wittchen, H. U. (2015). Functional disability and quality of life decrements in mental disorders: Results from the Mental Health Module of the German Health Interview and Examination Survey for Adults (DEGS1-MH). European Psychiatry, 30(6), 793-800. https://doi.org/10.1016/j.eurpsy.2015.06.003

Maran, A. D., Varetto, A. D., Zedda, A. M., & Ieraci, V. (2015). Occupational stress, anxiety and coping strategies in police officers. Occupational Medicine, 65(6), 466–473, https://doi.org/10.1093/occmed/kqv060

Margis, R., Picon, P., Cosner, A. F., & Silveira, R. D. O. (2003). Relação entre estressores, estresse e ansiedade. Revista de psiquiatria do Rio Grande do Sul, 25, 65-74. https://doi.org/10.1590/S0101-81082003000400008

Maria, A. S., Wörfel, F., Wolter, C., Gusy, B., Rotter, M., Stark, S., Kleiber, D., & Renneberg, B. (2017). The Role of Job Demands and Job Resources in the Development of Emotional Exhaustion, Depression, and Anxiety Among Police Officers. Police Quarterly, 21(1), 109-134. https://doi.org/10.1177/1098611117743957

Martin, D. C. (1990). The mental status examination. In H. K. Wlaker, M. D. Hall, & J. W. Hurst (Ed.), Clinical Methods: The History, Physical, and Laboratory Examinations (3rd ed., pp. 924-929). Butterworths.

Mazariolli, A. S., Paula, A. L. S., & Santos, C. L. V. (2022). O estresse e impacto na saúde mental de policiais militares trabalhadores do Copom no interior de São Paulo. Revista Brasileira de Estudos de Segurança Pública-REBESP, 15(1), 161-185.

Ministério da Justiça e Segurança Pública. (2022). Relatório final: pesquisa nacional sobre valorização dos profissionais de segurança pública. Secretaria Nacional de Segurança Pública

Monteiro, V. F., & Silva, S. S. D. C. (2023). Presença de Risco de Transtorno do Estresse Pós-Traumático em Policiais Militares Feridos por Arma de Fogo. Psicologia: Ciência e Profissão, 43, e252098. https://doi.org/10.1590/1982-3703003252098

Moraes, A. J. J. (2022). Avaliação da capacidade de autorregularão emocional em pacientes psiquiátricos: sob a perspectiva das funções executivas quentes. Dissertação de Mestrado. Programa de Ciências, Universidade de São Paulo.

Mussolini Filho, L. S., & de Castro Leão, A. M. (2023). O suicídio na Polícia Militar no Estado de São Paulo: Análise e compreensão da sua incidência. Revista do Instituto Brasileiro de Segurança Pública (RIBSP), 6(14), 87-104. https://doi.org/10.36776/ribsp.v6i14.174

Nieuwenhuys, A., & Oudejans, R. R. (2011). Training with anxiety: short- and long-term effects on police officers' shooting behavior under pressure. Cognitive processing, 12(3), 277–288. https://doi.org/10.1007/s10339-011-0396-x

Pasa, G. G. (2013). Impulsividade, busca de sensações e comportamento de risco no trânsito: um estudo comparativo entre condutores infratores e não infratores. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Ciências médicas. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Planche, K., Chan, J. F., Di Nota, P. M., Beston, B., Boychuk, E., Collins, P. I., & Andersen, J. P. (2019). Diurnal cortisol variation according to high-risk occupational specialty within police: comparisons between frontline, tactical officers, and the general population. Journal of Occupational and Environmental Medicine, 61(6), e260-e265. https://doi.org/10.1097/JOM.0000000000001591

Poderoso, E. S. (2018). Estereótipos dos suspeitos e ação policial: expressões e consequências. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social). Universidade Federal de Sergipe.

Quirino, E. M. B., Sobral, I. C. O., Vieira, J. C. M., & Bezerra, B. L. (2019). Absenteísmo por doença em um batalhão de polícia militar. Revista Enfermagem Digital Cuidado e Promoção da Saúde, 4(2), 99-104. https://doi.org/10.5935/2446-5682.20190016

Reis, G. S. (2020). Suicídio de Policiais Militares do Estado de São Paulo. Trabalho de Conclusão de Curso. Instituto de Ensino e Pesquisa.

Reis, M. dos S., & Faiad, C. (2014). Escala de instabilidade emocional para a segurança pública. Psico-usf, 19(1), 87–96. https://doi.org/10.1590/S1413-82712014000100009

Salles, F. H. M., Soares, P. S. M., Wiener, C. D., Mondin, T. C., da Silva, P. M., Jansen, K., Souza, L. D. M., Silva, R. A., & Oses, J. P. (2016). Mental disorders, functional impairment, and nerve growth factor. Psychology Research and Behavior Management, 9-15. https://doi.org/10.2147/PRBM.S104814

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, M. P. B. (2013). Metodologia de pesquisa. Editora Penso.

Santos, F. B., Lourenção, L. G., Vieira, E., Ximenes Neto, F. R. G., Oliveira, A. M. N., Oliveira, J. F., Borges, M. A., & Arroyo, T. R. (2021). Estresse ocupacional e engajamento no trabalho entre policiais militares. Ciência & Saúde Coletiva, 26(12), 5987–5996. https://doi.org/10.1590/1413-812320212612.14782021

Santos, H. B. (2021). A saúde mental dos policiais militares na transição da ativa para a inatividade: a importância do apoio institucional. Trabalho de Conclusão de Curso. Instituto Superior de Ciências Policiais.

Santos S. S., & Saturnino, A. S. G. (2023). O adoecimento psíquico nos policiais militares. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 23(4), e12702. https://doi.org/10.25248/reas.e12702.2023

Segato, G. V. B., Chagas, E. F. B., & Calamita, Z. (2022). Absenteísmo no contexto profissional dos Agentes de Segurança Penitenciária em relação ao envelhecimento. Saúde e Pesquisa, 15(3), e-10405. https://doi.org/10.17765/2176-9206.2022v15n3.e10405

Shalala, N., Tan, J., & Biberdzic, M. (2020). The mediating role of identity disturbance in the relationship between emotion dysregulation, executive function deficits, and maladaptive personality traits. Personality and Individual Differences, 162, 110004. https://doi.org/10.1016/j.paid.2020.110004

Silva, G. B., Vargas, R. M. C., & Holanda, A. F. (2023). Prática Policial e o Not Being-at-ease: a importância do investimento em saúde mental na polícia. Revista Brasileira de Segurança Pública, 17(2), 332-347. https://doi.org/10.31060/rbsp.2023

Snyderman, D., & Rovner, B. (2009). Mental Status Examination in Primary Care: A Review. Am Fam Physician. 80(8). 809-814.

Sousa, K., Siqueira, H. D. Á. S., Silva, W.C., Siqueira, F. F. F. S., Teixeira, S. A. M., Pereira, T. J. S., Chaves, M. V. S., Almeida, A. T. S. D., Lima, J. H. A., Lima, R. S. C., Queiroz, R. N. S. N., Vieira, L. C., Araújo, Z. A. M., Vaz, A. C. Hernandes, L. F., & Sousa, B. M. (2021). Fatores associados ao surgimento de ansiedade/depressão em policiais militares: uma revisão integrativa. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 10(10), e201101018702. https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18702

Sousa, R. C., Barroso, S. M., & Ribeiro, A. C. S. (2022). Aspectos de saúde mental investigados em policiais: uma revisão integrativa. Saúde e Sociedade [online], 31(2), e201008pt. https://doi.org/10.1590/S0104-12902022201008pt

Stuss, D. T., & Levine, B. (2002). Adult clinical neuropsychology: Lessons from studies of the frontal lobes. Annual Review of Psychology, 53(1), 401-433. https://doi.org/10.1146/annurev.psych.53.100901.135220

Tragesser, S. L., Solhan, M., Schwartz-Mette, R., & Trull, T. J. (2007). The role of affective instability and impulsivity in predicting future BPD features. Journal of personality disorders, 21(6), 603-614. https://doi.org/10.1521/pedi.2007.21.6.603

Von Diemen, V., Dick, N. R. M., & do Nascimento Pinto, J. (2019). Principais Causas de Absenteísmo nas Organizações Policiais Militares Atendidas na FSR-APM em 2013 e 2014. Saúde e desenvolvimento humano, 7(1), 25-36. http://dx.doi.org/10.18316/sdh .v7i1.3625

Downloads

Publicado

24.05.2024

Edição

Seção

Dossiê I/2024 - Psicologia Policial e da Segurança pública

Como Citar

CORRÊA, Dionne Rayssa Cardoso; OLIVEIRA, Sergio Eduardo Silva. Avaliação do Estado Mental: Comparação entre grupos de policiais militares do Distrito Federal com e sem indicadores clínicos. Revista Ciência & Polícia, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 265–289, 2024. DOI: 10.59633/2316-8765.2024.349. Disponível em: https://revista.iscp.edu.br/index.php/rcp/article/view/349.. Acesso em: 20 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 100

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.