Grupos reflexivos como estratégia de prevenção à violência no namoro: Relato de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.59633/2316-8765.2024.339

Palavras-chave:

Adolescência, violência contra mulheres, Lei Maria da Penha, estudantes, escola

Resumo

O objetivo deste manuscrito é apresentar um relato de experiência de grupos reflexivos sobre prevenção à violência no namoro realizado com adolescentes em uma escola pública estadual do sul de Santa Catarina. A intervenção consistiu em cinco encontros semanais. Os temas abordados incluíram construção social de gênero, relacionamentos abusivos e Lei Maria da Penha. Os resultados destacaram a contribuição da Psicologia para transformar crenças relacionadas à violência no namoro. Incentiva-se a replicação desses grupos nas demais regiões do país como forma de desafiar a lógica patriarcal e proteger a vidas de mulheres.

Biografia do Autor

  • Michele de Freitas Bock , Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC)

    Graduanda em Psicologia, Universidade do Extremo Sul Catarinense. 

  • Camila Maffioleti Cavaler, Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC)

    Doutoranda em Psicologia UFSC, mestra em psicologia pela mesma universidade, professora do curso de psicologia da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC).

  • Samira Mafioletti Macarini, Policia Civil de Santa Catarina (PCSC)

    Mestra em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina, psicóloga policial da Polícia Civil de Santa Catarina. 

Referências

Andrade, T. A.; LIMA, A. de Oliveira. (2018). Violência e namoro na adolescência: uma revisão de literatura. (19), 20-35. Desidades. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2318-92822018000200003&lng=pt&nrm=iso

Beiras, A., Bronz, A. (2016). Metodologia de grupos reflexivos de gênero. Instituto Noos. https://noos.org.br/wp-content/uploads/2018/08/Metodologia-Noos__PDF-final.pdf

Cavaler, C. M., & Macarini, S. M. (2020). Repensando práticas: delegacias da mulher enquanto espaço dialógico de prevenção à violência conjugal. Nova Perspectiva Sistêmica. 29(66), 60-73. https://dx.doi.org/10.38034/nps.v29i66.516

Delegacia Geral da Policia Civil de Santa Catarina. (2024, 24 de jan). Polícia Civil por Elas. https://pcporelas.pc.sc.gov.br/

Federici, S. (2018). Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Editora Elefante.

Foucault, M. (2018) História da sexualidade 1: a vontade de saber. 7 ed. Rio de Janeiro / São Paulo: Paz e Terra.

Gregori, A. G., Priolo Filho, S. R., & França, A. B. (2022). Avaliação de Crenças sobre Violência no Namoro (ACVN): Um Novo Instrumento Brasileiro. Psicologia: Teoria E Pesquisa, 38, 1-10. https://doi.org/10.1590/0102.3772e38411.pt

Lodetti, A. S., Monte, L. E., Lago, M. C. de S., & Toneli, M. J. F. (2018). A vida psíquica do homem e morte de mulheres. Psicologia & Sociedade. 30, 1-10. https://doi.org/10.1590/1807-0310/2018v30161068

Maglhães, B. M., Zanello, V., & Ferreira, I. F. R. (2023). Afetos e Emocionalidades em Mulheres que Sofreram Violência por Parceiro Íntimo. Revista Psicologia: Teoria E Prática. 25(3), 1-22. https://doi.org/10.5935/1980-6906/ePTPCP15159.en

Martins, A. P A. (2017). Violência no namoro e nas relações íntimas entre jovens: considerações preliminares sobre o problema no brasil. Revista Gênero. 17(2), 9-28. https://periodicos.uff.br/revistagenero/article/view/31261

Oliveira, Q. B. M., Assis, S. G. de ., Njaine, K., & Pires, T. de O. (2016). Violência Física Perpetrada por Ciúmes no Namoro de Adolescentes: Um recorte de Gênero em Dez Capitais Brasileiras. Psicologia: Teoria E Pesquisa. 32(03), 1-12. https://doi.org/10.1590/0102-3772e32323

Saffioti, H. (2015). Gênero, patriarcado, violência. 2ª ed. São Paulo: Expressão Popular: Fundação Perseu Abramo.

Santos, V. B. & Castellano, M. Q. (2020). Problematizando o conceito de vítima em atendimento a mulheres em situação de violência desde uma perspectiva interdisciplinas. In: Batista, A. P. & Cadan, D. Violências, vulnerabilidade e psicologia: um olhar para o sistema de justiça (143-155). São Paulo: Tirant lo Blanch.

Santos, C.F.S. & Andrade, M.J.E. (2018). A naturalização da violência de gênero na contemporaneidade. Anais do 16º Encontro Nacional de Pesquisadores em Serviço Social, 1(1) 1-16., https://periodicos.ufes.br/abepss/article/view/23228

Zanello, V. (2022). A prateleira do amor sobre mulheres, homens e relações. Curitiba: Appris.

Downloads

Publicado

14.03.2024

Edição

Seção

Dossiê I/2024 - Psicologia Policial e da Segurança pública

Categorias

Como Citar

BOCK , Michele de Freitas; MAFFIOLETI CAVALER, Camila; MAFIOLETTI MACARINI, Samira. Grupos reflexivos como estratégia de prevenção à violência no namoro: Relato de experiência. Revista Ciência & Polícia, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 29–47, 2024. DOI: 10.59633/2316-8765.2024.339. Disponível em: https://revista.iscp.edu.br/index.php/rcp/article/view/339.. Acesso em: 21 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 80

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.